PIX, o novo sistema de pagamento eletrônico!

Autor(a):

PIX é o novo sistema de pagamento eletrônico a ser adotado pelas instituições financeiras que possuam, ao menos, meio milhão de clientes. Deverá ser implementado, na prática, a partir de novembro/2020.

Definição, de acordo com o BACEN (Banco Central):

Pagamentos instantâneos (PIX) são as transferências monetárias eletrônicas na qual a transmissão da ordem de pagamento e a disponibilidade de fundos para o usuário recebedor ocorre em tempo real e cujo serviço está disponível durante 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias no ano.

As transferências ocorrem diretamente da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, sem a necessidade de intermediários, o que propicia custos de transação menores.

Desde o ano de 2018 o Banco Central estava trabalhando para desenvolver uma alternativa mais eficiente que os conhecidos TED e DOC.

Índice

Vantagens do PIX, novo sistema de pagamento eletrônico

  • Aumento da velocidade com que pagamentos e transferências são realizados: tudo ocorrerá em segundos (uma TED demora até 4 horas, ao passo que DOCs são agendadas para o dia seguinte);
  • Fomentamento da competitividade e eficiência do mercado;
  • Custo mais baixo: será gratuito para usuários, ao passo que instituições financeiras / bancos / fintechs irão arcar com um centavo a cada dez transações;
  • Aperfeiçoamento da experiência do cliente;
  • Aumento da segurança nas transações (essa vantagem é negada pelo ex-diretor do Banco Central do Brasil, saiba mais clicando aqui);
  • Promoção da inclusão financeira;
  • Redução do custo social (papel);
  • Inovação / surgimento de novos modelos de negócio;
  • Disponível 24 horas por dia, durante toda a semana (inclusive feriados e fins de semana);

Também é interessante relacionar essa prática com o mercado de criptomoedas: uma das vantagens de se mexer com bitcoin, por exemplo, é o fato de que transferências com a moeda digital podem ser feitas instantaneamente. O PIX possibilitará algo do tipo, visto que as transações serão concluídas de imediato, permitindo a competição diretamente com esse mercado.

Pagamentos e transferências no PIX, sistema de pagamento eletrônico

Basicamente, podem ser realizados através de 3 formas:

Utilização de chaves / apelidos

Alguns serviços de carteiras / bancos digitais (como Nubank, Banco Inter, Picpay e outros) já enviaram emails para seus clientes solicitando um pré-cadastro no sistema de pagamento eletrônico (PIX), onde o usuário deverá escolher número de telefone, CPF, CNPJ, email, enfim, alguma forma de se identificar sua conta quando for possível realizar transações do tipo.

Tecnologia near-field communication (NFC)

A tecnologia utilizada para pagamentos por aproximação com cartões também poderá ser usada com o objetivo de se realizar tais transações.

QR Code – “aponte e pague”

O QR Code é aquele código de barras bidimensional que, ao ser escaneado, pelo próprio celular, permitirá também a efetivação de uma transação online.

Nesse caso haverá os códigos dinâmicos e estáticos, que se diferenciam da seguinte forma:

QR Code dinâmico

  • Uso exclusivo para cada transação;
  • Além do valor, permite inserir outras informações, como a identificação do recebedor;
  • gerado por um sistema para diversas transações;
  • facilita a conciliação e a automação comercial.

QR Code estático

  • poderá ser utilizado para múltiplas transações;
  • permite definir um valor fixo para um produto ou a inserção de um valor pelo pagador;
  • ideal para pequenos varejistas, prestadores de serviço e pessoas físicas.

Conclusão

Espera-se que o PIX, que é uma marca única e criada pelo Banco Central, tendo sido anunciada primeiramente à imprensa em fevereiro de 2020 – veja o vídeo aqui -, traga uma série de vantagens para pagadores, recebedores e ao próprio ecossistema, vantagens essas que citamos, de maneira mais organizada, abaixo:

Para pagadores:

  • Processo mais rápido / barato / seguro;
  • Maior praticidade, podendo se utilizar uma lista de contatos pelo próprio celular ou, ainda, QR code para se realizar pagamentos;
  • Mais simples: sem necessidade de uso do cartão, folha de cheque, cédulas ou maquininhas, só necessitando do dispositivo digital para se realizar pagamentos;
  • Possibilidade de se realizar integração com outros serviços no smartphone.

Para recebedores:

  • Custo de aceitação menor que demais meios eletrônicos;
  • Disponibilização imediata dos recursos, reduzindo a necessidade de crédito;
  • Facilidade na hora de automatizar e conciliar os pagamentos;
  • Maior facilidade e rapidez no checkout.

Para o ecossistema:

  • Ambiente mais seguro;
  • Estímulo para a entrada de novas fintechs e big techs;
  • Estímulo na competição entre os meios de pagamento, resultando em serviços de mais qualidade e menor custo;
  • Inclusão financeira, com menores custos de iniciação e aceitação, além de mais agentes ofertantes);
  • A eletronização dos meios de pagamento, com a redução do uso de cédulas e diminuição do risco de crimes com efeitos significativos e deletérios sobre o ambiente econômico.

3 comentários em “PIX, o novo sistema de pagamento eletrônico!”

Deixe um comentário

error: Content is protected !!