Dicas de segurança Ifood: proteja seu dinheiro

Autor(a):

Dicas de segurança Ifood – O aplicativo Ifood está enfrentando sérios problemas de segurança já faz algum tempo. Por realizar mais de 21,5 milhões de entregas mensais em todo o Brasil, é natural que a empresa passe a ser visada por criminosos.

Inclusive ocorreu que, nos últimos dias, o Procon de São Paulo solicitou à polícia que investigasse não só a ação maliciosa de alguns entregadores do Ifood como do serviço de delivery Rappi também.

O Procon recebeu, nos últimos dias, algo em torno de 35 denúncias de crimes que foram praticados por entregadores dessas duas empresas. Tais denúncias tinham em comum o fato de que tratavam-se de transações não reconhecidas ou autorizadas pelos seus consumidores.

Basicamente o golpe consiste no entregador informar que há uma taxa adicional do serviço de entrega, oferecendo uma maquininha fraudada para o comprador realizar o complemento do pagamento. Acontece que o valor debitado acaba sendo ainda por cima bastante superior ao informado – chegando a milhares de reais.

A confusão quanto a esses casos ocorre da forma como as empresas encaram o problema e o que é dito no Código de Defesa do Consumidor: enquanto as mesmas se eximem de qualquer culpa, o artigo 34 estabelece a responsabilidade solidária do fornecedor pelos atos de seus prepostos ou representantes autônomos, sendo, portanto, corresponsáveis pelo ressarcimento dos valores cobrados fraudulentamente.

Índice

Dicas de segurança Ifood: atenção aos entregadores

O próprio aplicativo Ifood enviou para seus clientes via email algumas dicas para não cair em golpes.

De acordo com a empresa, quando o pagamento for realizado pelo app, o cliente não deve aceitar cobranças adicionais na entrega. Caso o entregador insista, entre em contato com o suporte do serviço de delivery.

Se o combinado for pagar no ato da entrega, confira na maquininha se o valor que aparece está correto. Essa ação é importante, pois no ato de furto dos criminosos o dispositivo chega a se encontrar com o visor danificado – e a cobrança, ressaltando, chega a valores absurdos. Portanto, atente-se a isso. Mais uma vez, recuse a ação e contate o Ifood.

E-mails e SMS falso

Outra maneira de pessoas mal-intencionadas procurarem furtar o dinheiro do consumidor é através do envio de e-mails e SMSs falsos.

Lembre-se sempre de verificar se o remetente do email é @ifood.com.br antes de responder algum contato e não compartilhar seus dados via SMS ou Whatsapp.

Cartão clonado no Ifood: problema recorrente

Outro problema relacionado à segurança do Ifood (e de outros aplicativos como Rappi, Uber Eats) refere-se ao cartão clonado, onde simplesmente os dados do cartão do usuário são roubados e usados por terceiros.

Isso costuma ocorrer porque o dono do card informa para terceiros os números do mesmo. Por exemplo, no Twitter, averiguei diversas vezes posts do tipo “teste de coronavirus gratuito – informe seus dados do cartão de crédito por aqui caso tenha interesse. E, acredite, pessoas caem nessa.

Dica de segurança: utilize cartão pré-pago para compras online, abastecendo-o com valores baixos, ou até mesmo sempre deixe bloqueado seu plástico, desbloqueando-o apenas no ato da compra.

Confira também algumas promoções nesse site, sobretudo em serviços de entrega (delivery) -> Cupons de desconto

error: Content is protected !!